Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

another design blogg'irl

another design blogg'irl

Seg | 11.06.18

Estar verde é estar na moda!

ctigredesign

Olá pessoal, 

Ando sem tempo para o meu blog, que riso! Tanto tempo livre e sem vontade de estar no blog a dedicar tempo. As leituras tem-me consumido a alma! 

Bem, hoje vamos falar e/ou refletir um bocadinho sobre a nova moda do verde e do sustentável e do "Mundo Green". 

bc90d723b3f68d187dfe4729dd9645bc.jpg62997.png

Quem trabalha com vestuário, texteislar, móveis e outros milhentos ramos certamente repara que a exigência pelos produtos mais amigos do ambiente tem aumentado. 

Os produtos sustentáveis, reciclados, re-aproveitados, ouvimos falar cada vez mais no up-cyling, reuse, re-made, eco, green, bio ... A verdade é que atualmente todas as marcas e indústrias envolventes tem sido bombardeadas com estes pedidos verdes. Alguns exemplos de fibras que estão muito na moda são bamboo, lyocell, poliéster reciclado, regenerado, lãs recicladas, e por ai fora. Aquelas fibras menos conhecidas também tem vindo ao de cima como kapok, juta, etc... os acabamentos também são greens! Acabamentos sem água no processo de tingimento, acabamento com corantes naturais... nunca mais acabam as possibilidades! Para chegar ao consumidor final totalmente GREEN. Todos os processos da cadeira produtiva tem sido reformulados para ajudar a acalçar o estatudo de "empresa que se preocupa com o ambiente", "marca sustentável", "funcionários felizes". 

Será que vamos para a frente com o Mundo Green? É que fácilmente se percebe o contrário! 

Todos pedem "green", "certificados green", "green pilows", "green eco products", "eco-friendly made" mas ninguém realmente parece querer comprar estes produtos! 

Não consigo relacionar a procura dos green nas industrias e nos fornecedores, quando nas lojas e no consumidor final (que aparentemente quer o eco-friendly) este não é o produto que é comprado. Ou porque é bastante mais caro, ou porquê é reciclado  e vai durar menos tempo (não é bem assim). Ou simplesmente porque a outra tshirt de poliéster é mais gira que a "green style". 

2f84285e-23dd-11e6-80b1-a87df553e801_image_hires.j

Fonte Imagem: http://www.scmp.com/business/global-economy/article/1956350/finding-balance-between-economic-and-environmental 

 

Claramente o GO GREEN ainda é um produto de nicho, de um público-alvo ocupado realmente com a natureza. Porque a maioria das pessoas acha espetacular o green, e o reciclado mas compra o que quer, sem pensar. Sem pensar no impacto de determinado produto na natureza. 

Porque Go Green não é ter estilo. Go Green é estabelecer um compromisso com o planeta e comprometer a compra (e não só, obviamente) a um processo o menos doloroso possível para a mãe natureza. Isso é estar sintonizado na tendência Go Green. Comprar conscientemente e comprar produtos amigos do ambiente. 

 

Porque não adianta ter uma tshirt "eco-friendly" se a tinturaria que acabou a peça não elabora os processos necessários para manter saudável a natureza e o ecosistema em redor. Se despeja a sua água"suja" nos rios... mas faz tshirts green! Não... os produtos green são de uma exigência maior. Certo? 

Vocês que compram ou procuram comprar peças sustentáveis, ecológicas... nunca se perguntam mais além do que diz o marketing da etiqueta? 

A mim o Green ainda é um bichinho que provoca algum ruído interno. Explico porquê: 

É uma demanda de mercado. Ok (já percebi)   

É uma exigência atual nas empresas fornecedoras. Sim confirmo que sim. (já vivenciei clientes a pedirem produtos orgânico, biológico, "especial", perguntarem nas lojas pelas peças amigas do ambiente). 

Vende-se. Não, acho que na realidade não se vende. E porquê?? 

Falta de divulgação, falta de compreensão... pela importância do movimento green, das demandas do planeta, da poluição industrial. O consumidor deve PENSAR que deve tornar-se Green como obrigação para com o planeta em que vive. Pela necessidade de reduzir consumismo excessivo, processos super poluientes. PENSAR que o movimento green foca-se em utilizar recursos naturais, recursos e processos químicos menos agressivos. Processos que não matem a natureza a passos tão largos. PENSAR que ao comprar texteis green, ou alimentos biológicos, ou produtos reciclados, ou produtos reutilizados em novos produtos estão a comprar anos de vida ao planeta. 

img_mat1.png

Fonte: http://educacao.faber-castell.com.br/professores/na-sala-de-aula/educacao-para-sustentabilidade/ 

 

Mas será viável acreditarmos cegamente na premissa de que o Mundo Green veio para ficar e investir nas tecnologias "verdes" e ecológicas, apostar nas matérias-primas e nos produtos verdes? Valerá a pena o investimento de certificar as entidades nos processos verdes? Certificar tudo e mais alguma coisa com o rótulo verde!? Haverá depois retorno? É importante esta reflexão, pois tornar-se green (à séria) envolve serious money! 

 

Porque todos pedem, todos perguntam e todos iniciam mas e depois?? .... voltam aos básicos. Por isso se isto do green vai para a frente, vai devagar.

Vai apenas para nichos pequeninos, atentos e informados corretamente. Nichos com maior poder de compra e maior alerta para questões realmente preocupantes como os números de registos de poluição que resultam da industria textil, por exemplo.

Digam-me se conseguirem, dez marcas Green ou com projetos Green atualmente no mercado e à venda. Se conhecem, os meus parabéns... pois pertencem a este pequeno nicho que se importa com o nosso planeta. Os restantes ainda não chegaram lá... mas eu espero que cheguem. Porque eu gostava de pensar que o green veio para ficar e cimentar-se. 

Fico à espera das vossa opinião ou reflexão sobre este tema, super atual e que nos envolve a todos e em todas as industrias. 

 

 

 

2 comentários

Comentar post